Páginas

Olá! Sejam muito bem vindos! Navegue a vontade, sinta-se em casa. É um imenso prazer compartilhar preciosidades com vocês... Sei que em cada lugar que passamos levamos um pouco de algo e deixamos um pouco de nós, então podem deixar um pouco de vocês aqui...comentem!!

domingo, 21 de agosto de 2011

Quintal

QUINTAL…essa palavra é doce aos meus ouvidos…

Cutuca minha memória e me traz doces lembranças de infância, brincadeiras com minhas irmãs, minhas amigas…o som suave da voz de minha mãe nos chamando para um lanche, o perfume emanado das flores coloridas, o frescor da brisa batendo em meu rosto a balançar os cabelos…

Era um lugar mágico. Cada um utilizava para um fim…Minha mãe estendia as roupas no varal para que o vento as fizesse secar. Para nós, eu e minhas irmãs, era o espaço destinado a brincadeiras das mais diversas…Eu ficava horas sentada na terra a observar as pequeninas coisas que a natureza nos emprestava…a trilha que as formigas faziam na sua luta diária para abastecer o formigueiro com pequenas folhas sobre as costas, o saltar do grilo entre os cantos,o som da cigarra, ficava procurando de onde vinha, a beleza da joaninha sobre o verde das folhas, o beija flor que voava com seu longo bico de flor em flor…Ah! esse para mim era estupendo!!Meus pequenos olhos o seguiam onde quer que fosse, admirava sua agilidade…E as borboletas…Nossa!!Como eram belas!!!Suas asas coloridas pousadas nas flores confundiam meus olhos…O gostoso também era sentir o calorzinho do sol sobre a pele, dava vontade de ficar alí horas a fio. E os pássaros, ficar naquele silêncio a ouví-los era encantador! Coisas simples, mas que tiveram uma importancia fundamental para a construção do meu quintal interior.

Na verdade tenho doces e eternas lembranças de vários quintais, mas seriam assunto para outro post.

Hoje não tenho esse privilégio de ter um quintal para dar a meus pequenos, ou seria para mim? Não, ele seria grandioso demais para egoismo…gostaria de ter para dividir com eles, compartilhar coisas singelas que são fundamentais e preciosas a nossa mente, ao nosso coração e a nossa alma.

É um sonho que tenho e sonho que se sonha pode virar realidade…

Imagem: Pinterest

 

Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas
mais que a dos mísseis.
Tenho em mim
esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância
de ser feliz por isso.
Meu quintal
É maior do que o mundo.

Manoel de Barros

12 comentários:

  1. Ai, Débora, quanta inspiração!
    Coisa boa este texto, tão leve, tão gostoso... tão bom de ler neste domingo frio e de sol, bom de ficar mesmo no quintal neh?!

    Pena eu não ter tais recordações... ando numa fase tão conflituosa com minha mãe...

    Mas enfim, aqui em casa tem um quintalzão, hehehehe. Lucas aproveita ;-) E é mesmo bom demais!!!

    Beijão, querida!
    Bom domingo para vcs!

    Ju

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Débora!
    São lembranças lindas e doces...momentos que ficam eternizados!
    Lindo o seu blog!

    Bjss querida e um maravilhoso domingo!

    http://www.toutlamour.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Minha mãe ainda tem uma casa com quintal, meu filho passou os primeiros anos de vida lá, aproveitou dessa magia e hj a alegria de ir na casa da avó é metade por ser literalmente uma casa.
    Casa é bom d+
    Quintal, mangueira, banho de bacia, fruta no pé, terra, telhado, goteira, varal de nilon que cabe as roupas do mês....rsrs, passarinhos, borboletas, flores...Mais q D+

    Amei o post.
    Precioso.

    ResponderExcluir
  4. Débora,
    adorei o poema!
    e adoro quintais!
    E como são boas nossas memórias da nossa infância,né?
    bom domingo!
    beijão
    Angi

    ResponderExcluir
  5. Lindo, me fez viajarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr! Adorei! beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Maravilhoso você ter se nutrido de quintal. Mesmo seus filhos não terem um quintal como o teu, têm a mãe que o traz consigo.
    Amei o poema! Beijo

    ResponderExcluir
  7. Um barco parado no cais de espera
    Amarras soltas do frio ferro
    Uma gaivota adormeceu sem penas
    Uma criança chora no meio do aterro

    Cheio de penas amarro a alma
    Uma saudade arrocha meu peito
    Sou um caçador de nuvens breves
    Um romântico sem ponta de jeito

    Um barco de papel perdido do norte
    Roseira plantada num campo de pedras nuas
    Uma casa perdida da sua cidade
    Um labirinto feito de mil e muitas ruas


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  8. OI MINHA QUERIDONA!!!!
    AMO ESTA PALAVRA, QUINTAL!!!!
    E AMO MEU QUINTAL, NELE ME PERCO E SOU EU MESMA, ANDO DE PÉS DESCALÇOS, ME SUJO DE TERRA, CHEIRO DE MATO... FRUTA NO PÉ...!
    QUE DELÍCIA DE RECORDAÇÕES AS SUAS, ESTE QUINTAL ESTARÁ SEMPRE VIVO EM TI.
    BEIJINHO E UMA SEMANA BEM ABENÇOADA!

    ResponderExcluir
  9. ESQUECI DE DIZER QUE ESTE LIVRO: A DOÇURA DO MUNDO ME DEIXOU CURIOSA, VOU PROCURÁ-LO!

    ResponderExcluir
  10. Que lindo! Também me fez lembrar da minha infância! Moro em apt. e só curtimos o quintal da vovó . O Henrique ama! Quem sabe um dia conseguimos ter o nosso?! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Eu me sinto feliz ao ler seus textos porque a felicidade está inserido em cada coisa que vivenciou. Um abraço!
    Ivana

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Vou chegando através do blog 'coisinhas da chica' e já começando a seguir seus registros também.Ví a imagem no post da amiga e imediatamente fiquei encantada!A mim recordou logo a casa muito bem cuidada de uma tia no interior do CE.Nostalgia!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu precioso comentário, vou amar ler. Volte sempre que quiser!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...